O Mito da Cerveja Sem Álcool

Legislação

Embora as empresas usem o termo “sem álcool”, na verdade, a cerveja pode conter, sim, a substância, porém, em menor quantidade. E, acredite, isso não viola o Código de Defesa do Consumidor como publicidade enganosa porque existe a lei 8.918/94 no qual admite que as cervejas com teor alcoólico igual ou inferior a 0,5% em volume sejam classificadas como “sem álcool” e deixem de apresentar no rótulo a advertência de que o produto contém álcool.Ou seja, na verdade, a cerveja pode ter uma quantia pequena de álcool porque a legislação permite que até 0,5% em volume possa ser chamada de “cerveja sem álcool”.

Nos textos abaixo veremos muitos dos malefícios e precauções que devemos ter com a cerveja e o vinho sem álcool. Ainda que a cerveja não seja apenas ruim ou maléfica por que tem álcool, mas é prejudicial em certo ponto por que também tem álcool. Eu gravei um vídeo com informações adicionais sobre a cerveja sem álcool, neste vídeo eu falo bastante sobre o lúpulo e conto um pouco da história por trás dessa cerveja sem álcool.

Clique no link e assista ao vídeo na íntegra.


VINHO SEM ÁLCOOL CONHEÇA MITOS E VERDADES

O Que é o Vinho Sem Álcool?

Em princípio, o termo “vinho livre de álcool” é permitido beber, pois a taxa está próxima de 0%. O vinho sem álcool é muitas vezes titulada para o álcool de 0,3% em volume para uma garrafa 750 ml.

O 0,0% não existe. No entanto, considerando que uma garrafa de vinho tinto clássico é em torno de 12% e aperitivos ou álcoois digestivos ascendem a 35% ou mais, pode-se encontrar uma vantagem no consumo de bebidas chamadas de “sem álcool”.

Perigos de Vinho Sem Álcool para Alcoólicos
Apesar do baixo teor alcoólico do vinho sem álcool, esta bebida está longe de ser seguro para uma pessoa com um vício de álcool atual ou passado:

A presença do álcool pode reestimular receptores sensíveis ao álcool no cérebro, mesmo se um teor de 0,2 ou 0,3% não é suficiente, em princípio, para atravessar a membrana do estômago e passar para o sangue.

O gosto e o cheiro, que estão presentes, podem fazer reaparecer a tentação de beber bebidas alcoólicas. Além disso, cuidado: a legislação europeia tolera o nome de “vinho isento de álcool” para qualquer vinho cujo teor de álcool seja inferior a 7%, o que é ainda um grau bastante elevado.
[…] Alguns dependentes de álcool recorrem a essas bebidas como substitutos. No entanto, por causa da presença, ainda que pequena, de álcool nessas bebidas, eles são fortemente desaconselhados para as pessoas que estão tentando parar de consumir o álcool.

Este trecho do artigo foi adaptado de Maicon Oliveira – data de publicação: 30 de janeiro de 2017 em vinhos.blog.br


10 Razões para dispensar a cerveja sem álcool


“Quanto mais restritas as leis com relação ao uso do álcool, maior a tendência de buscar um paliativo para o hábito de beber”. Agatha Lemos

1- Para quem não sabe, a cerveja sem álcool  tem um pequeno teor de álcool sim. segundo a lei, esse teor não pode ultrapassar 0,5%. E muitas marcas ultrapassam esse limite, sem, contudo colocar a informação na embalagem. isso não só acontece com as cervejas, mas com vinhos e outras bebidas alcoólicas também. pesquisadores vem mostrando o perigo de se consumir uma bebida cuja embalagem traz a informação de um teor alcoólico menor do que apresentado pelo conteúdo.

2- Outro problema da cerveja sem álcool tem a ver com a lata. a cerveja dentro da lata  pode sofrer alterações dependendo de como ela e armazenada, além da possibilidade de o ao oxidá-la, alterando suas características.

3- A cerveja sem álcool tem menos calorias. Por outro lado, ela tem muito açúcar. Esse e um dado importante, especialmente para os diabéticos, sem saber, é possível atrair mais complicações ao organismo.


4- A cerveja, mesmo sem álcool, não e recomendada a um ex-alcoólatra. suponhamos que seja comprada certa marca com teor alcoólico diferente da informação na embalagem, ou mesmo que cada latinha só tenha o limite permitido de 0.5%. Essa inocente atitude pode abrir precedente para uma grande recaída. além disso, ela sempre será uma lembrança de seu vício.


5- Outro Problema para ex-alcoólicos está ligado ao sabor da cerveja sem álcool. Os bebedores experientes afirmam que o gosto da cerveja sem álcool é diferente da cerveja com álcool. No entanto, é evidente há semelhanças entre os sabores, pois do contrario, a cerveja sem álcool não seria considerada cerveja e pertenceria portanto, a outra classe de bebidas.

6- Pessoas que tomam remédio controlado também estão no grupo de risco dos bebedores. A ingestão de álcool (ainda que mínima) combinada com medicamentos pode causar sérios problemas. considerando que a cerveja sem álcool pode ter seus 0.5% de álcool, ela neste caso também deve ser dispensada.

7- Há também pessoas com sensibilidade alérgica ao álcool, assim como ao vinagre. Uma gota pode desencadear dores de cabeça, erupções cutâneas e outros sintomas alérgicos.

8- Não gaste seu dinheiro com algo que pode comprometer seu bem-estar físico e mental.

9- Para pessoas sensíveis ao álcool, algumas doses de cerveja sem álcool (com teores alcoólicos de até 0,5%) podem provocar, sim, algum tipo de alteração.

10- Levando-se em conta a predisposição física, mental e genética, além de outros fatores que têm influência pessoal sobre cada indivíduo, a cerveja sem álcool não parece ser um boa pedida.

Este trecho do artigo foi adaptado da Revista Proteste, autoria da Dra Daiane Daumichen, Psicóloga Clínica.

Observação: Proteste é uma empresa privada conceituada que atua de forma semelhante ao Inmetro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *